Nem Fred Gil conseguiu travar o ímpeto de Nuno Borges

Ainda está para chegar o tenista que consiga, nesta semana, bater o pé a Nuno Borges (1264.º) no Open de São Domingos ou, pelo menos, “roubar-lhe” mais que cinco jogos.

Depois de duas vitórias inequívocas na fase de qualificação, o jovem tenista português continua a aplicar a mesma receita no quadro principal, derrotando sem problemas de maior Nuno Deus e JC Aragone e, esta sexta-feira, Fred Gil (477.º) no jogo de acesso às meias-finais, naquela que é já a sua maior vitória da carreira até ao momento.

Esperava-se um encontro equilibrado tendo em conta os protagonistas em questão: de um lado o jovem maiato a realizar uma excelente semana, do outro a experiência e a valia do sintrense, antigo número 1 nacional e um dos grandes nomes do ténis português, mas a verdade é que o embate foi de sentido único, com Nuno Borges a derrotar o ainda campeão em título com os parciais implacáveis de 6-0 e 6-2, em apenas 56 minutos, sem ter sequer enfrentado um único ponto de break.

Nuno Borges já garantiu oito preciosos pontos para a sua classificação individual, com a presença nas meias-finais deste torneio de 25 mil dólares em prémios monetários. Presença essa que supera os quartos de final alcançados nos torneios de Castelo Branco e Idanha-a-Nova, em 2016, e em Oliveira de Azeméis, em 2015.

Na penúltima ronda, o português de 20 anos, que ontem esteve à conversa com o RAQUETC, vai defrontar o espanhol David Vega Hernandez (689.º). É certo que um eventual título ainda está mais longe do que possa parecer, mas a jogar assim…

Artigo atualizado às 11h57.

João Correia
Licenciado em Sociologia e Mestre em Comunicação, Cultura e Tecnologias de Informação (ISCTE). Privilegiado por viver numa das melhores eras da história da modalidade.