Com o primeiro título na mão, Oscar Otte aponta aos grandes palcos e ao quadro do Australian Open

LISBOAOscar Otte sagrou-se campeão do 1.º Lisboa Belém Open ao recuperar da desvantagem de um set para derrotar o japonês Taro Daniel na final deste domingo. Em conferência de imprensa, o tenista alemão falou da importância desta conquista e dos objetivos a médio prazo.

“Foi muito difícil jogar porque está outra vez muito calor e por isso estou contente por ter conseguido. Não comecei bem, perdi algumas oportunidades no primeiro set mas consegui voltar mais forte no segundo set e continuar assim no terceiro, o que me deixa muito feliz. Foi uma semana fantástica”, começou por analisar o germânico, que há 9 meses estava fora do top-600 e amanhã fará a estreia nos 200 primeiros.

“Mais forte fisicamente”, o que explica pelo facto de ter jogado “pontos menos longos ao longo de toda a semana”, Oscar Otte não pensava no título antes de se estrear no Lisboa Belém Open mas “a partir da segunda ronda comecei a sentir-me muito confortável nestas condições e a acreditar que podia acontecer.”

Cada vez mais perto dos 150 primeiros, Otte tem como objetivo “continuar a melhorar semana após semana e ganhar o máximo de encontros possíveis para se tentar terminar o ano no top 100 e entrar no quadro principal do Australian Open. É esse o meu grande objetivo.”

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."