Fred Gil e Gonçalo Oliveira sagram-se vice-campeões do Lisboa Belém Open

LISBOAFred Gil e Gonçalo Oliveira sagraram-se este sábado vice-campeões de pares do Lisboa Belém Open, torneio que distribui 43.000 euros em prémios monetários e marca o regresso do circuito Challenger ATP a solo português.

Em busca do primeiro título enquanto parceria, os dois jogadores portugueses começaram bem a final — arbitrada pelo conceituado árbitro Carlos Ramos, o único no mundo a já ter arbitrado finais de singulares masculinos nos quatro torneios do Grand Slam — frente a Ruan Roelofse, da África do Sul, e Christopher Rungkat, da Indonésia, e foram não só os primeiros a quebrar o serviço como os primeiros a dispor de set points, mas não conseguiram levar avante a exibição e acabaram derrotados por 7-6(7) e 6-1.

Inicialmente mais consistentes do que os adversários, Gil e Oliveira reagiram muito bem à perda de serviço e entraram no tiebreak de forma arrasadora, chegando a dispor de uma vantagem de 5-0, mas Roelofse e Rugkat não desistiram e tiraram a reviravolta da cartola para ficarem com o título numa final que contou com a presença de vários espetadores portugueses nas bancadas do Estádio CIF.

Com a derrota, Gil e Oliveira falham a conquista daquele que seria o primeiro título enquanto parceria e, no caso do sintrense, o 8.º da carreira em quadros de pares de torneios Challengers, bem como do mais importante desde que, ao lado de Daniel Gimeno-Traver, conquistou o ATP 250 de Viña del Mar, no Chile; já para o portuense, seria o 20.º título da carreira em pares mas o 1.º em Challengers, categoria onde antes desta semana nunca tinha ganho qualquer encontro.

Ainda para este sábado está prevista a realização da segunda e última meia-final de singulares, onde Taro Daniel e Gianluizi Quinzi vão lutar pela última vaga. O vencedor defronta Oscar Otte na final de domingo.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."