Frederico Silva: “Tive as minhas oportunidades mas deixei escapar o jogo no final do 1.º set”

LISBOA – Depois de Gastão Elias, também Frederico Silva caiu às mãos de Joris de Loore no quadro principal de singulares do Lisboa Belém Open, o torneio Challenger ATP que se realiza no CIF. Em conferência de imprensa, o caldense falou das oportunidades que teve e do momento que considera ter sido decisivo para o desfecho favorável ao belga.

“Senti que no primeiro set joguei bem, tive as minhas oportunidades e depois deixei escapar o jogo no final do primeiro set, mas sinto que entrei bem no jogo e tinha delineado a tática da melhor forma para poder fazer um bom jogo e ganhar”, analisou Silva, que no último fim de semana conquistou o 10.º torneio Future da carreira em singulares.

Frente a um adversário que “baseia o seu jogo na força, no serviço, que é muito rápido e pesado, e joga sempre com muita qualidade”, Frederico Silva reconheceu que “podia ou devia ter fechado o set quando servi a 5-3 mas não consegui fazer um bom jogo de serviço e depois o set voltou a estar equilibrado. Aí senti que ele elevou um bocadinho o jogo e eu não consegui estar tão bem. Foi aí que o encontro se decidiu porque no segundo set já não consegui estar tão bem.”

Assim, a representação portuguesa no quadro principal de singulares do Lisboa Belém Open desce para apenas 1 nome, o de Pedro Sousa, dado que depois de Silva também João Domingues saiu derrotado na segunda eliminatória.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tie-break. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegaram o padel e o squash. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."