Gonçalo Oliveira: “Isto é o começo, estamos na geração de ouro”

Gonçalo Oliveira é um dos protagonistas de um dos dias mais felizes da história do ténis português. O jogador de 22 anos sagrou-se campeão do Future de Bacau, na Roménia, e ergueu o terceiro título da carreira em singulares.

“Isto é o começo, estamos na geração de ouro”, começou por dizer Gonçalo Oliveira ao RAQUETC depois do seu triunfo, que aconteceu no mesmo dia em que também André Gaspar Murta, João Monteiro e João Domingues, o último já num torneio Challenger, conquistaram torneios profissionais.

“O ténis nacional está num momento glorioso e quero felicitar todos os que triunfaram esta semana. Isto demonstra que se formos apoiados podemos alcançar posições relevantes no ténis mundial”, disse ainda o jogador português, que revelou estar “muito feliz porque consegui o apoio do público romeno, o que prova que o meu ténis está num bom caminho.”

Sobre o título, Oliveira diz ser “relevante porque representa uma subida no meu ranking. Todas as semanas a minha preocupação é melhorar o meu nível, por isso começo a exigir de mim uma boa participação em todos os torneios que jogo.”

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."