Stan Wawrinka: “Não sou o Cristiano Ronaldo do ténis”

0

Em vésperas de iniciar a sua participação no ATP 250 de Genebra, onde defende o título de campeão conquistado o ano passado, Stan Wawrinka foi entrevistado pela estação pública de rádio e televisão da Suíça (RTS). O suíço de 32 anos falou sobre o circuito e revelou os desportistas que o inspiram, demonstrando sempre grande humildade.

Wawrinka entrou num novo patamar da sua carreira com a conquista do Open da Austrália de 2014. No ano seguinte conquistou o torneio de Roland Garros e em 2016 saiu campeão de Flushing Meadows. “Não tenho o talento dos melhores da minha geração. Tive que trabalhar no duro para estar ao mesmo nível que eles. Não posso comparar-me ao Cristiano Ronaldo, ele é muito alto, muito ágil”, referiu o suíço quando questionado sobre se seria o Cristiano Ronaldo do ténis, já que Federer, com o seu talento inato, lembra Lionel Messi.

Numa altura em que a nova vaga de tenistas está na ordem do dia (veja-se o caso de Zverev que, aos 20 anos, integra esta semana o top-10 mundial), os cinco primeiros classificados do ranking estão todos na casa dos 30 anos. “Creio que o ténis mudou muito nos últimos anos. Atualmente é a idade da maturidade [30]. Mas, como em todos os desportos, o ténis tornou-se mais exigente a nível físico e mais profissional. Todos os jogadores fazem-se acompanhar de treinador, preparador físico e alguns até têm fisioterapeutas pessoais. É por isto que hoje em dia as carreiras duram mais tempo”, observou.

Stan Wawrinka tem uma vasta legião de fãs (só no Twitter tem mais de um milhão de seguidores) e serve de inspiração para muitos deles. Mas quem é que inspira o suíço? “Pete Sampras, por exemplo, ou Àlex Corretja, que tive oportunidade de conhecer quando era mais jovem. Gostava bastante também do Pat Rafter, pela sua mentalidade. Em outros desportos, destaco o Kobe Bryant [antigo basquetebolista dos LA Lakers e um dos melhores de todos os tempos]”.

Apesar de todas as conquistas já alcançadas, o número 3 mundial mantém-se sereno, humilde e com os pés bem assentes no chão. “Para mim, tudo o que já conquistei é muito mais do que alguma vez esperava. Nunca sonhei estar no top 5 ou ganhar um Grand Slam, imagina três”, sublinhou.

Comentários

Comentários