João Sousa perde duelo entre parceiros de pares no Masters 1000 de Roma

0

Caiu para o lado de Kyle Edmund a vitória no confronto entre o tenista britânico e João Sousa. O melhor tenista português de todos os tempos procurava colocar um ponto final na série de derrotas consecutivas, mas não conseguiu derrotar o seu novo parceiro de pares (jogaram juntos no Millennium Estoril Open e vão procurar fazê-lo sempre que conseguirem entrada direta) e foi eliminado na primeira ronda do Masters 1000 de Roma.

Esta semana na 51.ª posição do ranking ATP, João Sousa não conseguiu ser tão eficaz quanto o atual número 53 na conversão de pontos de break, o que ditou a sua derrota em 1h09, com parciais de 6-3 e 6-4.

No total, foram 3 os pontos de break que Edmund (um dos melhores tenistas britânicos da atualidade, que é também um dos dois jogadores a ter conseguido “arrancar” um set a Nadal em terra batida na presente temporada, juntamente com Fognini) enfrentou e salvou, enquanto Sousa se deixou quebrar nas duas vezes em que foi chamado a salvar break points, a última das quais a 4-4 do segundo set, o que deixou o jovem britânico a servir para o encontro.

Com a derrota na primeira ronda do Internazionali BNL D’Italia — onde em 2016 chegou à segunda etapa, só perdendo para Dominic Thiem –, João Sousa falha o triunfo na ronda inaugural de um torneio pela quarta vez consecutiva, tendo no torneio de Genebra, na Suíça, a oportunidade de reencontrar o caminho vitorioso. A temporada, recorde-se, até começou bastante bem para o vimaranense, que conseguiu resultados muito positivos nos eventos realizados em piso rápido e construiu, na terra e juntamente com os restantes elementos da seleção nacional, a histórica promoção ao Play-Off da Taça Davis.

Comentários

Comentários

COMPARTILHAR
Artigo anteriorFrederico Silva ultrapassa jornada dupla e sagra-se campeão em Cherkasy
Próximo artigoMasters 1000 de Roma é na Sport TV
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."