Nadal: “Sou suficientemente humilde para dizer que fiquei nervoso no final”

0

MADRID – O capítulo número 50 da rivalidade entre Rafael Nadal e Novak Djokovic ficou concluído com uma vitória do tenista espanhol, que perante os seus compatriotas celebrou a passagem a mais uma final no Masters 1000 de Madrid. Em conferência de imprensa pouco depois do triunfo, o atual número 5 do ranking (que já é primeiro na corrida a Londres) falou sobre o encontro, os nervos que sentiu na parte final e a decisão deste domingo.

“Foi um primeiro set muito, muito bom. Bati muito bem a direita a esquerda e o serviço também. Quando estava a jogar a esse nível no início senti que estava a controlar o jogo mas no segundo set já não aconteceu. O encontro ficou mais equilibrado e podia ter acontecido qualquer coisa. Passei a mudar menos a direção, fiquei algo nervoso e a ter de bater mais direitas ao longo da linha, mas é natural num encontro como estes”, começou por analisar o tenista espanhol depois de vencer por 6-2 e 6-4.

Questionado sobre os nervos que revelou ter sentido na segunda partida, Nadal disse que é “suficientemente humilde para vir aqui [à sala de conferências de imprensa] dizer que fiquei nervoso no final. Sobretudo a 40-15, depois com break point para ele, foi um momento muito difícil para mim, mas aceitei a situação e continuei a lutar pelo ponto seguinte. Acho que é um grande resultado. Para se ganhar ao Novak com um resultado como este é preciso jogar-se muito bem, senão é impossível.”

Na conferência de imprensa que se seguiu ao apuramento para a oitava final em Madrid, Rafael Nadal afirmou ainda que “à medida que os anos passam, o mais importante passam a ser os títulos e não os adversários que derrotas. É verdade que alguns encontros são mais importantes do que outros, mas eu estou aqui para tentar conseguir o melhor possível e jogar o meu melhor ténis. É claro que derrotar um jogador como o Novak te dá muita confiança, mostra que estás a trabalhar bem, mas é só mais um jogo. Como disse ontem, dá-me a oportunidade de ganhar outro título, o que é muito importante para mim.”

Ainda sem conhecer o adversário da final de amanhã, que sairá do encontro desta noite entre Dominic Thiem e Pablo Cuevas, o campeoníssimo espanhol — que já é o primeiro classificado na Race to London — espera “um jogo muito, muito complicado independentemente do resultado. o Thiem é o terceiro na corrida a Londres e vem de jogar a final em Barcelona. É novo e tem muito talento. O Pablo também se está a sair muito bem e jogou muito bem em Monte Carlo, onde derrotou o Wawrinka. Qualquer que seja o meu adversário, vai ser um encontro muito complicado.”

Comentários

Comentários