Halep volta a vencer e faz história em Madrid

0

MADRID — Uma, duas, três. Depois de 2014 e 2016, Simona Halep está pela terceira vez na final do Mutua Madrid Open, ao derrotar Anastasija Sevastova para obter um registo histórico no torneio espanhol.

Campeã em título e terceira cabeça de série do evento fruto da subida ao quarto posto do ranking há duas semanas (esta semana voltou a descer, sendo a oitava), a jogadora romena de 25 anos deu cabo das aspirações da tenista letã (22.ª), que disputava a primeira meia-final do carreira em torneios Premier Mandatory, ao vencer por 6-2 e 6-3.

Vinda de duas vitórias nos dois últimos encontros frente a Sevastova (a última das quais muito recentemente, na terra batida de Estugarda, por 6-3 e 6-1), Simona Halep sabia, no entanto, o que era perder para Sevastova (o confronto direto registava 3-3), pelo que teve de se preparar bem para o encontro.

Como esperado, o duelo começou com muitas trocas de bola em que as duas jogadoras voltaram a dar provas dos seus arsenais completos. Só que ao quinto jogo do set chegou o primeiro break e a tenista romena descolou no marcador, não voltando a ceder um jogo até vencer o primeiro parcial por 6-2.

Depois, Sevastova reagiu. Fazendo uso de um jogo muito variado e completo, conseguiu a primeira quebra de serviço do segundo set, passando para o 3-0 que lhe parecia dar alguma tranquilidade. Mas, e talvez inspirada pela recuperação de 2-5 no terceiro set frente a Roberta Vinci na terça-feira, a campeã em título do torneio não desligou, foi à luta e recuperou, acabando por conquistar seis jogos consecutivos para se colocar na rota da vitória, que chegou quando estava decorrida 1h13 de encontro.

Apurada para a final de um torneio WTA pela primeira vez na temporada, Simona Halep já sabe que, independentemente do resultado da decisão de sábado, entra para a história do torneio de Madrid, ao tornar-se na primeira jogadora a chegar ao derradeiro duelo em mais do que duas ocasiões. Como adversária, a ex-finalista de Roland Garros terá ou Svetlana Kuznetsova, ou Kristina Mladenovic, que se encontram no primeiro encontro da sessão noturna (20h de Madrid).

Comentários

Comentários

COMPARTILHAR
Artigo anteriorMartina Navratilova: “É altura dos jogadores pararem com o assunto Sharapova”
Próximo artigoVídeo: Pablo Cuevas faz o ponto do ano
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."