Futebolista do Barcelona interessado em desenvolver formato de competição idêntico ao Mundial de Futebol

Após muita tinta corrida devido ao atual formato da Taça Davis, que segundo vários jogadores não vai ao encontro da exigência do circuito, levando muitas vezes os principais tenistas a falhar as eliminatória devido à necessidade de gerir esforços, Gerard Piqué, defesa central do Futbol Club Barcelona, parece estar a tentar arranjar apoiantes e a entrar em contacto com as mais altas patentes do ATP World Tour, com vista a criar um novo modelo de Campeonato do Mundo de seleções de ténis.

Segundo avança o jornal El Espanol, o internacional espanhol, que esta semana foi presença assídua nos camarotes da Caja Magica no Masters 1000 de Madrid, estará a tentar implementar, com o apoio de jogadores de renome internacional e da ATP, uma competição que vise combater todas as críticas que têm sido impostas ao formato da Taça Davis, com a solução a passar por 10 dias totalmente dedicados a um ‘Campeonato do Mundo’, que reunisse 16 seleções em formato de play-offs.

A ideia da nova competição tem sido falada nas conferências de imprensa após os jogos, sendo que têm surgido várias perguntas dirigidas a alguns dos melhores jogadores do mundo, como são os casos de Novak Djokovic, Rafael Nadal e Andy Murray — jogadores que têm tido um papel importante na tentativa de fazer reformas importantes na Taça Davis — sobre a ideia que começa a surgir.

Os três jogadores, afirmam que este tema já foi falado vezes de mais com a Federação Internacional de Ténis, mostrando assim o seu apoio incondicional ao modelo que alegadamente já estará em negociação, com todos a admitirem já terem entrado em contacto com o futebolista para discutir o tema em questão.

“Acho que é uma grande ideia. Se fosse para a frente seria algo bastante positivo para o ténis. Agora se vai acontecer ou não, é outra questão. Acho que ainda há muita coisa que tem de ser trabalhada”, diz o número um mundial, Andy Murray, que reitera ainda que o ténis “precisa de um evento como este”.

Nadal é da mesma opinião: “Acho que seria uma excelente iniciativa. Esperemos que vá para a frente”. Quanto a Djokovic assume “estar muito orgulhoso que pessoas como o Gerard [Piqué] estejam a investir o seu tempo e energias para tornar o jogo melhor”, esperando também ele que “a ideia ganhe vida”.

Francisco Semedo
A tirar a licenciatura em Turismo na Universidade Europeia, desde cedo se interessou pelo ténis. Começou aos 9 e desde então tem um olhar atento e constante de tudo o que se passa naquela que considera ser a melhor modalidade a todos os níveis.