Djokovic: “Estou a entrar num novo capítulo da minha carreira”

0

Novak Djokovic garantiu na tarde desta quinta-feira a passagem aos quartos de final do Masters 1000 de Madrid após somar um triunfo em sets diretos diante de Feliciano López. Contudo, um dos temas que despertou mais curiosidade na conferência de imprensa pós-jogo do sérvio foi, uma vez mais, o despedimento da sua anterior equipa técnica, mas também uma eventual mudança de patrocinadores.

“É suposto eu não falar destas coisas. Não há nada oficial. Não posso estar a falar de marcas e mudanças que irão ou não surgir. Portanto nós simplesmente temos de esperar e logo se vê”, frisou o número dois mundial quanto ao assunto de uma possível alteração de marcas.

“Em termos de equipa técnica, eu não usaria a expressão “vi-me livre deles” como vocês disseram. Penso que é um pouco negativa. Nós decidimos tudo por mútuo acordo e houve compreensão dos dois lados”, afiançou, antes de comentar o surgimento de um novo Novak Djokovic no futuro.

“Depende da forma como olhas para a situação para concluíres se realmente eu estou ou não a inventar um novo Novak. Estou definitivamente a entrar num novo capítulo da minha carreira, da minha vida. Estou ansioso pelo que vem aí. Penso que a melhor forma de prevermos o futuro é criá-lo. É essa a minha mentalidade, basicamente”, apontou o jogador natural de Belgrado.

Acerca do que Pepe Imaz, guru espanhol, e o seu irmão, Marko, trazem de novo ao seu jogo, Djokovic afirmou que as suas presenças na sua box são sobretudo importantes. “Em relação à minha equipa, obviamente eles são mais do que uma equipa. Eles são amigos, família, pessoas que têm estado comigo por muito tempo, especialmente o meu irmão. Estão comigo para me apoiar, para me dar a energia que necessite em certos momentos em que estou a passar por uma transição por estar sem treinador”, apontou.

“O meu irmão é o meu treinador neste momento, mas ele não gosta de aceitar esse papel. Ele diz: ‘Eu sou teu irmão, por isso estou aqui para te ajudar’. Valorizo imenso os seus conselhos dentro do campo, e a sua observação. Mas ele prefere manter-se no papel de irmão do que no de treinador, o que eu respeito muito. Portanto, nesta transição, eles estão acima de tudo lá para mim e ao meu lado. Estou completamente bem com isso”, terminou.

Comentários

Comentários