Andy Murray fez da estreia em Madrid um mero protocolo

0

MADRID – Em busca de um bom resultado para iniciar a mini-temporada de terra batida depois de um início de 2017 que deixou muito a desejar, o número 1 mundial Andy Murray estreou-se esta terça-feira com uma vitória no Masters 1000 de Madrid, que venceu pela última vez em 2015.

Considerado um dos principais candidatos à vitória no torneio da capital espanhola, o número 1 do ranking ATP teve pela frente o romeno Marius Copil, que com a vitória na etapa inaugural tinha garantido a entrada no top-100 mundial pela primeira vez. E, perante um court Manolo Santana muito composto, não desapontou, vencendo pelos parciais de 6-4 e 6-3, naquele que foi o último jogo da sessão diurna nos campos principais.

O começo do encontro não foi particularmente fácil, com o britânico a ter de trabalhar pela conquista dos pontos, que por vezes se prolongaram e equilibraram de forma mais frequente do que a prevista. Só que a experiência falou mais alto e com o decorrer da partida Murray foi capaz de “descolar” no marcador, vindo a garantir a vitória em 1h23 de encontro.

Com a passagem aos oitavos de final carimbada, o tenista britânico de 29 anos fica agora à espera do vencedor do duelo entre Borna Coric e Pierre-Hugues Herbert/Lucas Pouille para conhecer o seu próximo adversário.

Amanhã, quarta-feira, será dia de se concluírem os encontros da segunda ronda, entre os quais os de Novak Djokovic e Rafael Nadal — que marcam as estreias do sérvio e do espanhol, respetivamente, na edição deste ano –, pelo que o regresso de Murray aos courts só acontecerá na quinta-feira.

Comentários

Comentários

COMPARTILHAR
Artigo anteriorTennys Sandgren conquista wild card para Roland Garros
Próximo artigoVídeo: Por esta Manolo Santana não esperava
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."