João Sousa repete presença no quadro principal do Masters 1000 de Madrid

Pelo quarto ano consecutivo, João Sousa vai disputar o quadro principal de singulares do Masters 1000 de Madrid. Trata-se do torneio mais importante em solo espanhol e também aquele em que o vimaranense tem mais pontos a defender, fruto da campanha histórica em 2016.

Com vitórias sobre Nicolas Mahut, Marcel Granollers e Jack Sock, o número 1 português ganhou em 2016 a oportunidade de defrontar Rafael Nadal no court central — um dos maiores do mundo — e a verdade é que depois de um começo desigual até conseguiu igualar o encontro, só perdendo em três sets.

A campanha histórica valeu-lhe, na altura, 180 pontos, e este ano chegará em Madrid em condição semelhante (era 35.º, agora, a uma semana do Millennium Estoril Open, é 36.º), o que significa que não estará entre os cabeças de série.

No topo do quadro deverá estar o britânico Andy Murray, número 1 mundial e campeão em Madrid há dois anos, numa final em que derrotou Nadal, seguido de Novak Djokovic, campeão em título.

Gaspar Ribeiro Lança
gasparlanca@raquetc.com | Dar palavras a um encontro de dois, três, quatro ou cinco sets, com ou sem tiebreak. Dar palavras a recordes, a histórias. Dar ténis a todos aqueles que o queiram. E mais, sempre mais. Por isso depois chegou o padel, o squash e o ténis de mesa. E assim cá estamos, no RAQUETC ("raquetecétera"). Como escreveu Fernando Pessoa nos anos 20, "primeiro estranha-se, depois entranha-se."