Portugal 1 vs. 0 Ucrânia. Gastão Elias ultrapassa “maratona” de mais de 4 horas e dá vantagem à equipa portuguesa

0

LISBOA – Ditou o sorteio que seria Gastão Elias o primeiro a entrar em campo na eliminatória entre Portugal e Ucrânia e o número 2 português não desiludiu, conseguindo a suada vitória numa “maratona” memorável que deixa a equipa capitaneada por Nuno Marques na frente do confronto que este fim de semana se desenrola no CIF – Club Internacional de Foot-Ball.

À procura de uma presença histórica no play-off de apuramento para o Grupo Mundial (etapa alcançada pela primeira e única vez no ano de 1994), a seleção portuguesa escolheu o histórico clube lisboeta pela segunda vez consecutiva, depois de em fevereiro ter afastado o conjunto de Israel, e a verdade é que o CIF voltou a ser palco de mais uma vitória lusa, agora com Elias a vencer por 6-4, 7-6(1), 6-7(6), 3-6 e 6-1 num duelo muito equilibrado e que só terminou quando o relógio apontava mais de 4h de encontro.

Com Artem Smirnov (507.º no ranking) pela frente, Gastão Elias (90.º) conseguiu o primeiro e único break do set inaugural quando se verificava uma igualdade a 3, mantendo-se a partir daí na frente do embate para não mais perder a vantagem, que começou a ser alargada logo no início do segundo parcial, quando a 1-1 conseguiu uma quebra em branco que o lançou para a vitória nessa partida.

Bastante sólido no serviço e sempre à procura de soluções na resposta que lhe permitissem dilatar a diferença no marcador, o jogador português de 25 anos, natural da Lourinhã, parecia bem encaminhado para um segundo parcial de sentido único, mas Smirnov devolveu a quebra de serviço sofrida a 1-1 e forçou um tiebreak, onde já não teve capacidade de lutar de igual para igual com Gastão Elias.

No terceiro set, o tenista ucraniano conseguiu entrar melhor e chegar mesmo ao break, o único que conseguiu em todo o encontro, mas seria uma questão de tempo até Gastão Elias reencontrar os níveis que o levaram à vitória nos dois primeiros sets e recuperar terreno. Pelo meio, Smirnov ainda pediu um medical time out devido a dificuldades físicas nas costas. Adiada para o tiebreak, a decisão caiu, desta feita, para o ucraniano, que salvou cinco match points antes de inscrever o nome no marcador.

Embalado pela vitória no terceiro conjunto, Artem Smirnov entrou por cima no quarto set e conseguiu logo o break à entrada, construindo a partir dai uma vantagem que não seria desfeita pelo português até ao final do parcial. A vitória portuguesa teve, por isso, de ser carimbada por Gastão Elias num quinto e último set, em que foi quer física, quer taticamente  muito superior, com as várias centenas de espetadores presentes nas bancadas do campo coberto do CIF a celebrarem efusivamente um triunfo muito importante para o ténis português.

Já com uma vitória “no bolso”, a seleção portuguesa pode dar mais um passo importante para o desfecho da eliminatória ainda esta sexta-feira, caso João Sousa (#37) derrote Nikita Mashtakov (#1558) e coloque o resultado em 2-0 para a equipa da casa. A acontecer, Portugal ficará a apenas um triunfo de conseguir a tão desejada subida ao play-off onde estão as equipas que este ano foram derrotadas na primeira ronda do Grupo Mundial.

Comentários

Comentários